Família de Louisville (EUA) está revoltada após acertarem seu gato com uma flecha.

- novembro 30, 2018




Apenas um pouco acima do colar em torno de seu pescoço, os olhos amarelos de um pequeno gato cinza chamado Kias têm visto muito ultimamente.



Vídeo: Registro de crueldade proposto depois que o gato da família de Louisville foi atingido com uma flecha.

“Ele está bem agora”, disse seu dono, Timothy Nava, brincando. “Ele está usando o cone da vergonha”.

Mas há alguns dias, Kias, que veio para a família quando filhote, não estava bem. Timothy teve que acordar sua esposa, Lacey, no meio da noite.

“Ei, temos que levar o gato ao veterinário porque ele está com uma flecha na cabeça”, disse Lacey. “Claro, você sabe, você entra em pânico e nós não sabíamos se ele conseguiria sobreviver”.

Timothy disse que Kias correu em sua direção no bairro de Valley Station com uma flecha presa na cabeça, entre a orelha e o crânio.

“Ele levou pontos atrás de sua orelha”, disse Timothy.

Uma conta na plataforma GoFundMe foi criada para ajudar a pagar as despesas veterinárias de Kias.

Por fim, ele sobreviveu, mas Timothy disse que pessoas dos serviços de animais lhe disseram que a flecha provavelmente veio de uma besta portátil, atirada a menos de 4,5 metros do gato.

É um ato que a família considera crueldade contra animais.

“As pessoas estão cansadas disso”, disse Lacey. “Estes animais, nós temos que ser a voz deles”.

É uma história que Pamela Daniels conhece por conta própria, mas com um final mais doloroso.

“Isso só me deixou doente do coração”, disse Daniels.

Um cachorro foi encontrado em seu bairro, Fairdale, atingido por uma flecha. Faleceu um tempo depois.

Agora, pelo cachorro que ela chama de Arrow, ela está trabalhando com o representante de Kentucky, Kevin Bratcher, (Distrito R-29) para criar novas leis estaduais.

Um projeto pré-apresentado que ela chama de “Lei do Bom Samaritano” permite que as pessoas ajudem animais presos em carros quentes. O outro é muito parecido com uma lei do metrô de Louisville, discutida no Comitê de Segurança Pública no último dia 14 à noite, mas em nível estadual.

A “Lei de Arrow” criaria um registro para rastrear os agressores de animais e endurecer as penalidades por crimes relacionados.

Daniels disse que também pode ajudar os humanos porque ela acredita que muitos que maltratam animais passam a ferir pessoas.



“Não estamos apenas ajudando a salvar os animais, mas podemos estar muito bem impedindo um assassinato ou um caso de agressão infantil”, disse Daniels.

Daniels disse que o Kentucky ocupa a última posição quando se trata de leis que protegem animais.

Ela ajudou a criar o grupo do Facebook “Justice for Arrow” para que pudesse dar voz àquele cachorro e aos outros filhotes.

Fonte: olharanimal
Advertisement