Uma picada dessa cobra vai fazer você viver um inferno na Terra!

- novembro 26, 2018



Apesar de todas as picadas de cobras venenosas serem uma preocupação séria, a maioria demora um bom tempo para matar um humano adulto. Isso ocorre porque o veneno geralmente atua enfraquecendo os sistemas vitais do corpo até a morte da vítima.

No entanto, há uma cobra bem específica que além de acabar com a vítima rapidamente, faz com que o processo seja extremamente doloroso. Seu nome é cobra coral azul (Calliophis bivirgata) e são encontradas no sudeste da Ásia, tendo um veneno tão poderoso que pode desencadear todos os nervos da vítima a disparar de uma só vez, provocando instantaneamente espasmos no corpo inteiro, paralisia e uma morte rápida e horripilante.





“Essas cobras são ‘assassinas de assassinos’. Elas são especialistas em atacar outras cobras venenosas, incluindo as temíveis cobras-reais, brincando de ‘caça ao perigo”, disse o membro da equipe Bryan Fry, da Universidade de Queensland.


Com sua combinação de listras azuis e cabeça e cauda vermelhas neon, a cobra coral azul é sem dúvida uma das espécies mais notáveis de cobra do mundo. Ela também tem as maiores glândulas de veneno do mundo, estendendo-se por um quarto do comprimento de seus corpos.



As cobras corais azuis geralmente crescem até em torno de 1,8 metro de comprimento e permanecem bem finas a vida inteira. Sabe-se que o veneno dessas cobras causou duas mortes humanas durante o século passado e atualmente não há nenhum veneno para sua mordida. Mas a boa notícia é que elas geralmente tendem a evitar humanos sempre que possível.

A razão pela qual seu veneno é tão ridiculamente potente é porque elas adoram comer animais que também são mortais, como outras cobras, o que significa que se tivessem um veneno mais fraco que operasse lentamente, elas se abririam para a possibilidade de morrer a cada refeição, o que não é nada bom quando tudo o que você quer é uma janta rápida.





Ironicamente, o veneno das cobras corais azuis – apelidado de Calliotoxina – poderia ser usado em farmacologia para o desenvolvimento de novos medicamentos. Os cientistas estão agora particularmente interessados em sua capacidade de agir como um analgésico em humanos.

Fonte:Casos Interessantes


Advertisement