5 dicas para ajudar seu cachorro a superar um trauma e voltar a ter confiança.

- dezembro 01, 2018



Manter uma rotina, treinamentos específicos para animais com fobias, ter um ambiente seguro em casa e brincar bastante com o tutor são formas de ajudar um animal a se recuperar de um trauma

Muitos cachorros ficam com traumas de alguma situação ruim pela qual passou. Isso acontece principalmente com animais que sofreram maus-tratos, que foram violentados e/ou abandonados.



Pesquisas já mostraram que, assim como acontece com os humanos, os cães também podem sofrer de Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT). Alguns dos sintomas dessa condição são: Alterações no temperamento ou aumento da irritabilidade; Mudança brusca de comportamento; Agressão de medo; Hipervigilância; Evitar coisas muito específicas; Fazer xixi de medo; Tremor.

Sofrer violência, tomar um susto forte, cair da escada ou ser deixado em casa sozinho por muito tempo, cada uma dessas coisas podem afetar os cachorros de uma forma diferente e se transformar em um trauma.

É bom lembrar que, quem determina o que é ou não traumatizante é o animal e que experiências podem ser vividas, recebidas e entendidas de formas diferentes. Então, o que pode ser traumatizante para um cão pode ser vivenciado de uma forma mais tranquilo por outro peludo, como cortar as unhas, descer escadas, uma visita ao veterinário.

O trauma pode acabar mudando o comportamento do animal e a sua qualidade de vida, por isso é essencial ajudar seu cachorro a superar isso de forma correta, sem forçar nada e nem piorar ainda mais a situação.

Pensando nisso, nós trouxemos algumas dicas para que você consiga ajudar seu cão a recuperar a confiança e perder o trauma.

1 – Manter uma rotina estrita

Um cão que passou por um trauma ou que sofre de Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) pode se tornar um animal bastante medroso e desconfiado, além de se sentir desprotegido. Para que esse cachorro volte a ter confiança, é importante que ele não passe por surpresas ou sustos e que tudo aconteça da forma que ele espera ou já está acostumado.

Ter uma rotina regular ajuda com isso. Passear e alimentar o cão sempre nos mesmos horários todos os dias é muito importante. As mudanças e novidades devem ser inseridas de forma muito gradual para que ele não se assuste a vá se acostumando aos poucos.

2 – Treinamentos específicos para animais com fobias

Já existem treinamentos especiais para animais que sofrem de medo excessivo ou que têm fobia de alguma coisa específica. Esses treinamentos, sem nenhum tipo de imposição ou forçando o animal, ajudam os cães a se sentirem mais confortáveis ​​em relação a tudo o que está causando o problema. Eles são ensinados que aquela coisa que lhes causa medo nem sempre é assustador como já pode ter sido um dia.

3 – Brincadeira como terapia

De acordo com Jaak Panksepp, psicólogo e cientista de animais da Washington State University, algumas atividades podem ajudar os cães a lidar com os sintomas do TEPT.

“As sessões de exercícios e brincadeiras devem ser vigorosas, mas o cão deve estar relaxado e aproveitar o tempo de brincadeira. Estas sessões destinam-se a aumentar os níveis de dopamina, melhorando o humor do seu cão de forma segura e eficiente. ”, explica Jaak Panksepp.


Esses momentos de brincadeiras com o tutor ou um adestrador ajudam o cão a esquecer o estresse. Além disso, hormônios do “bem-estar” são liberados e ajudam a combater a depressão.

4 – Ambiente seguro

Para se livrar do TEPT, o animal precisa de um ambiente em que se sinta seguro e livre daquilo que lhe causa medo. Um local tranquilo, calmo e silencioso, incluindo coisas que façam o animal se sentir bem, com um brinquedo ou o panhinho preferido, são perfeitos.

O lugar seguro de um cachorro pode estar em qualquer lugar que eles escolherem, como debaixo da cama ou da mesa de trabalho do tutor. Para ajudar ainda mais, você pode se certificar de que apenas coisas alegres e felizes aconteçam com o animal quando ele estiver nesse espaço. Nunca mande o cachorro para lá como punição e não invada o território deles.

5 – Evite se estressar na frente do cão

Seu cachorro percebe o seu humor e sabe quando o tutor está estressado, com raiva, triste e feliz. Sabendo disso, é essencial que você tenha um controle sobre seu humor, principalmente quando estiver com raiva, ansioso e estressado, quando você estiver com o animal, pois ele pode acabar absorvendo o que você está sentindo.

Ter reações negativas podem afetar o cão, que vai ficar mais feliz quando você estiver feliz e ficará apreensivo quando você estiver ansioso.

Ajudar um cachorro com Transtorno de Estresse Pós-Traumático a recuperar sua confiança e sua alegria é uma tarefa difícil e bem longa. Problemas emocionais são mais complicados de se tratar e curar do que os problemas físicos.



O importante é não forçar o animal a conviver com o que lhe causa medo, evitar ficar ansioso com o problema do cão, não desistir e pedir ajuda a um médico veterinário para que ele lhe indique qual a melhor forma de cuidar do seu cachorro.

Fonte: portaldodog
Advertisement