Luisa Mell é acusada de intolerância religiosa por criticar sacrifício de animais.

- abril 05, 2019


A ativista se opôs à decisão do Supremo Tribunal Federal, votada na última quinta (28)
segunda 1 abril, 2019.

Luisa Mell é acusada de intolerância religiosa e racismo estrutural nas redes sociais.

Luisa Mell usou suas redes sociais para publicar um comunicado sobre a decisão tomada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) acerca do sacrifício de animais em religiões de matriz africana. Por unanimidade, o ato foi considerado constitucional.

Em seu Instagram, a dona do Instituto Luisa Mell se revoltou, e acabou criticando o órgão. “É de uma barbaridade tão grande que nos faz pensar se realmente estamos vivendo um retorno à Idade Média. Não importa a religião ou credo em discussão, o foco da Justiça deveria ser a vítima e não o segmento da sociedade”, ressaltou.

Na sequência, Mell disse também que respeita todas as religiões, mas que há outros modos de exercer a fé sem machucar animais inocentes. Segundo ela, Deus significa amor, compaixão e solidariedade.

“Eu particularmente, me sinto próxima de Deus quando salvo algum animal! Para mim Deus é isso! Amor, compaixão, solidariedade… salvar e não matar!”, finalizou a loira.

REPERCUSSÃO

Nos comentários da publicação, diversos seguidores da ativista apontaram sua atitude como apenas mais um discurso “sem informação e racista”.

“Acabei de ver o post da Luísa Mell e é basicamente aquela mistura de racismo, desinformação e etnocentrismo que só serve pra justificar a perseguição a religiões de matriz africana”, disse uma seguidora de Mell.

“Luisa Mell presta um trabalho excelente em relação a causa dos animais, mas ninguém pode negar que essa mulher é uma fonte absurda de desinformação”, comentou outro. Por conta da repercussão negativa, Luisa acabou apagando a publicação.

Fonte: anamaria / Redação.
Advertisement